Eye Trap

A distância,
O contato.
A rede que nos une e separa
Elástica, sem filtros, arrasta
Carrega pessoas, sentidos, enganos
Esconde pérolas e gigantes
Em meio a cultos medonhos
Massas de matéria aleatória
Coringas e camaleões que refletem
A imagem do contexto,
Transparecem suas inseguranças

Essa rede que sempre esteve aqui
Mas só hoje transcende dia função de carregar
Para refletir o que há aqui em nós,
Cardume ansioso

Uma crosta de medo que não reluz
quando se depara com o desconhecido
das profundezas de sua consciência.
Que reluz apenas para o tilintar das ondulações da superfície,
sob o farol do pesqueiro que vai caçar no meio da noite,
quando o cardume sai para se alimentar.

--

--